fev 1, 2013

Postado

Seo Bida

Seo Bida

 

Seo Bida, Noraldino Valverde de Carvalho , nascido em 1931, nos brinda nessa matéria com suas memórias sobre o trabalho na roça, bailes e Folias de Reis. Ao lado de Nivaldo Bártoli de Carvalho lembrou dos velhos tempos de rapazes em que viravam noites tocando sanfona nas festas na roça, andando a pé ou a cavalo lá pros lados das Palmeiras, Serra dos Netos, Serra dos Barbosa, Três Cruzes, Leopoldina…
Como disse seo Bida o trabalho na lavoura de arroz era duro, dava tanto calo nas mãos que pareciam casco de tatu. Essas mesmas mãos triscavam cordas de viola e violão, teclas de sanfona, couro de surdo para animar os bailes nas roças e tocar a Folia na época de Reis.
Em 1977 fundaram, junto com Valdete Valverde de Carvalho (irmão e pai), a Folia dos Valdete, lá mesmo na Serra dos Barbosa onde nasceram e trabalharam durante muitos anos. Antes, esse saudoso folião entoou trechos de Reis com Tragino Medeiros na Folia da Serra. Contaram que essa foi a maior dupla de “cantadores de frente” que já existiu na cidade e região.Como a Folia tinha muitos componentes, resolveram separar e criar seu próprio grupo.
Hoje a Folia tem no comando o irmão mais velho Nédio Bártoli de Carvalho e é uma das mais prestigiadas Folias da região com um vasto e tradicional repertório de toadas executadas com maestria pelos membros da família.
Nivaldo e Maninho (irmãos e filhos de Valdete) formaram dupla desde os seis e cinco anos de idade, cantando inicialmente na resposta, acompanhando os foliões adultos pelas madrugadas. Por volta dos dezessete anos formaram dupla de música sertaneja e, junto com seo Bida na sanfona, ganharam um festival de música em Leopoldina, quase foram para São Paulo seguir carreira, mas o trabalho na roça não permitiu que ganhassem a estrada.
Até o ano passado seo Bida ainda tocava sanfona na Folia do saudoso Valdete. Esse ano ficou parado, mas prometeu que vai “dar um ensaio” e volta no ano que vem a louvar os três Reis com sua música. Sua memória do passado, seus casos sobre o trabalho na roça e como candeeiro de carro de boi, a Folia e os bailes nos ensinam e nos inspiram a admirar ainda mais a cultura do povo brasileiro.

  1. Essa dupla é pra lá de especial.

  2. Cultura de raiz, muito bonita e significativa. Pureza pura desse povo trabalhador e sofrido. Parabéns por mostrá-los para a posteridade.

Deixa um Comentário