out 20, 2010

Postado

Olha o Congo aí, companheiro.

O Congado é uma família. Família de sangue passado de pai pra filho. Família de amizade passada de vizinho pra vizinho. Família de amor, passada de congadeiro pra congadeiro. Assim foi, é, e será o Congado de Paula Cândido.
O congadeiro conterraneo Antônio Coelho é assim lembrado, com muita nostalgia, por todos que o conheceram.”Virgem do rosário, vossa casa cheira. Cheira cravo de rosa, flor de laranjeira.” é o que canta emocionado Eduardo à memória de seu avô. Seu congado não acabou com a morte da carne, está vivo pela força de seu neto. E não se fortalece sozinho. É família ajudando família. Amigo ajudando amigo. Antônio e Maria do Dodô tinham essa amizade movida pela fé. Congado de Paula Cândido e Congado de Visconde do Rio Branco. Duas cidades. Dois grupos distintos. Uma amizade. Uma família.

Uma homenagem aos congadeiros e congadeiras. À nossa família, à sua famíla, aos netos, tios, avôs e avós. Aos amigos, aos vizinhos. Aos companheiros de hoje e sempre:

Deixa um Comentário