out 30, 2013

Postado

Baraoni!

Baraoni!

É assim, saudando ao Senhor da Rua que o Afoxé Niza Nganga Njungo pede licença para começar sua festa! É carnaval, é alegria e devoção! Pelos toques do Ijexá vão preenchendo de sons e movimento o ambiente por onde passa… “Niza Nganga ê, Niza Nganga, ô abram alas que Niza Nganga vai passar”!

O agogô, com suas campânulas metálicas de som vibrante, marca sonoramente sua importância no Afoxé. Conhecido como gã é um instrumento da música tradicional yorubá e pertence ao orixá Ogum, senhor dos metais. No Niza são tocados de duas formas: um grupo de agogôs faz a marcação e outro, sozinho, vai dobrando, dando aquela batida tão conhecida do Ijexá!

Seguindo seu comando, os atabaques, os xequerês e as maracas que compõem a charanga do Afoxé, vão encorpando o ritmo. A charanga e os gãs em uníssono dão vida e forma a essa herança musical africana. O Ijexá é tocado para os orixás Ogum, Oxum, Osain, Logum-edé, Yansan, Exu, Oyá, Oba e Oxalá. O atabaque, tocado com as mãos no couro do instrumento, reforça o toque típico do Ijexá. Sua sonoridade parece nos conectar com a terra, com as raízes da mãe-África. Como eles dizem em uma de suas cantigas: “vim do quilombo, eu sou quilombola, Niza Nganga Afoxé de Juiz de Fora”.

O xequerê, belo instrumento feito de cabaça e contas, em sua leveza de movimentos ao ser tocado, parece nos elevar ao céu. No Afoxé Niza ele é tocado por mulheres, o que traz a graça e a suavidade femininas para o Ijexá. Tocando, cantando e dançando alegremente vão entoando: “ê e ê, ê e á, como é lindo o nosso toque de Ijexá”.

 No toque de Ijexá, entre o céu e a terra, vão festejando e abrindo os caminhos, anunciando: “vem aqui que a festa é sua, pisa Niza Ngongo Njungo, é a vinda do povo na rua”.

Os Filhos de Gandhy foi o primeiro bloco de Afoxé surgido na Bahia. De Salvador,  a cultura do Afoxé veio descendo o Brasil, passando pelo Rio de Janeiro e Minas Gerais. Desta forma, foi sendo criado novos blocos de Afoxé como o Niza Nganga Njungo em Juiz de Fora.  A cadência contagiante do Ijexá também veio pulsando pelo Brasil afora influenciando também a música popular, o que possibilitou a criação de jóias de nossa MPB. Assim, a disseminação da paz proposta pelos Filhos de Gandhy vai sendo reafirmada a cada toque e canto de Ijexá. Envolva-se nessa aura de paz ouvindo essa bela canção :  Filhos de Gandhi Clara Nunes e Gilberto Gil

 

Deixa um Comentário